Geral

DEZEMBRO LARANJA: DERMATOLOGISTA ALERTA PARA A PREVENÇÃO AO CÂNCER DE PELE

Verão, férias, praia, mar e piscina, sem dúvida, esse é o momento do ano mais esperado para grande parte da população brasileira. No entanto, essa combinação pode ser perigosa, principalmente, se a pessoa não toma os cuidados necessários para proteger a pele.

Exatamente por isso, o último mês do ano foi o escolhido para a campanha Dezembro Laranja, que tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância dos cuidados para prevenir o câncer de pele, o tipo de câncer mais comum no Brasil.

Realizado desde 2014, uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o Dezembro Laranja também alerta para a importância do diagnóstico precoce do câncer de pele.

Apesar do tipo mais comum - o não melanoma – ter letalidade baixa, é imprescindível procurar o atendimento médico, ao menor sinal de algum problema dermatológico, para evitar complicações. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 185 mil novos casos são registrados a cada ano no país, sendo que grande parte dessas ocorrências poderia ser evitada com os cuidados adequados com a fotoproteção.

Para a médica dermatologista Dra. Maria Carolina Pantaleão, a melhor forma de se proteger é evitando a exposição solar em horários de picos, ou seja, das 10h até às 16h, período no qual o sol está mais forte e a emissão dos raios UVB e UVA é mais intensa.

Além disso, ao contrário do que muitas pessoas acreditam, usar somente o protetor solar não é o suficiente. “Os meios físicos como chapéus, sombrinhas, entre outros itens, também são fundamentais para a proteção”, aponta a médica.

Dra. Maria Carolina esclarece que existem dois tipos de câncer de pele. O não melanoma é o mais comum, frequentemente se apresenta como uma ferida na pele que não cicatriza. Já o melanoma, geralmente se trata de um sinal que o paciente não tinha, e que está mudando de cor e/ou assimetria. Este câncer é mais preocupante, pois possui maior taxa de mortalidade.

A dermatologista ainda ressalta que é muito importante saber procurar o médico no momento certo. “Para isto é preciso observar a pele com muito cuidado e identificar qualquer lesão que chame atenção seguindo o ABCDE - A: Assimetria (lesões assimétricas); B: Bordas irregulares; C: Cor (cores misturadas, variadas ou mais de um tom); D: Diâmetro (de mais de 5mm) e E: Evolução (lesões que mudaram de tamanho, cor, forma ou aparência)”, explica a Dra. Maria Carolina.

Inscreva-se em nossa NewsLetter