Polícia

POLÍCIA PRENDE 3 SUSPEITOS DE ESFAQUEAR E ESCONDER CORPO DE JOVEM QUE TINHA DESAPARECIDO AO SAIR PARA LANCHAR EM GOIÂNIA

A Polícia Civil prendeu três suspeitos de participar no assassinato de Ariane Bárbara Laureano de Oliveira, de 18 anos, que foi encontrada morta no Setor Jaó em Goiânia, após falar para a mãe que iria lanchar com amigas.

Foram presos Jeferson Cavalcante Rodrigues, de 22 anos, Raíssa Nunes Borges, de 19, e Enzo Jacomini Carneiro Matos, de 18, que usa o nome de Freya.

Ariane Laureano foi morta em 24 de agosto, segundo a Polícia Civil, mesmo dia do desaparecimento, e seu corpo foi encontrado em uma mata no dia 30.

O delegado Marcos de Oliveira Gomes, que investigou o crime, disse que Ariane foi morta porque Raíssa Borges desejava saber se era psicopata ou não. Para isso, ela teria que matar alguém para avaliar a própria a reação após a morte.

Esfaquear quando tocar música

O crime obedeceu um ritual programado pelos suspeitos e foi cometido dentro de um carro. O delegado explicou que eles escolheram uma música que falava sobre homicídio e que a canção foi tocada em um momento específico da conversa entre eles.

No meio da música, um deles estalou os dedos. Esse foi o sinal para Raíssa matar a amiga.

"Mas na ocasião que o motorista estalou os dedos, uma das presas não conseguiu enforcar a vítima. Então a pessoa que estava no banco da frente pulou para o banco de trás e enforcou Ariane até ela desmaiar", detalhou Marcos Gomes.

Uma das suspeitas deu uma facada na vítima com o carro em movimento e ouvindo a música que eles escolheram. Logo em seguida, outra pessoa desferiu uma segunda facada. A polícia não divulgou a ordem em que os suspeitos estavam no interior do carro.

Sacos de lixo no porta-malas

A polícia identificou primeiro o veículo usado no crime. Segundo a investigação, o carro usado para jogar o corpo de Ariane numa mata do Setor Jaó foi o mesmo que a buscou no Lago das Rosas, minutos antes de enviar mensagem para a mãe avisando que iria lanchar com os amigos.

Segundo a investigação, o veículo já estava forrado com saco de lixo no porta-malas, onde os suspeitos colocaram o corpo dela para ser transportado até ao local de mata.

"A Ariane estava toda feliz por sair com as amigas. Identificamos o motorista e cumprimos mandado de prisão temporária. De imediato, ele confessou o crime e nos apresentou a faca usada, ainda com resquícios de sangue", esclareceu o delegado.

Fonte: G1/Goiás

Inscreva-se em nossa NewsLetter